terça-feira, outubro 23

We wish you a Merry Christmas

Ontem fiquei chocada, palavra de honra. Não sei se é por causa do bom tempo que se fez sentir até então (agora já começa a ficar frescote)…mas assim que entro no Pingo Doce recebo um bafo a Natal que vou vos dizer. Não estava à espera. Faltou-me a prévia preparação, sei lá. É que ainda nem comi castanhas nem merendas doces. Ainda não saborei o Verão de Todos-os-Santos, ainda não fui ajudar a Mamis a lavar a campa do meu avô, ainda não comprei galochas para a chuva e ainda não pus lençóis de flanela na cama. E já estou a levar com decorações de natal, veados que amandam música pelo cu à força de pilhas, árvores de natal e ferrero rochés. A flauta-de-pã do Pingo Doce* deixou de entoar Beatles e já passou a entoar o Merry Christmas. Parece-me que isto é só um cheirinho do que aí vem. Os meus 24 anos de vida já me ensinaram que isto é só o princípio de algo maior. Vem aí mais, muito mais: superfícies comerciais num corrupio nervoso que até dói, uma melancolia chata por não ter dinheiro para prendas (nem para mim nem para ninguém), bacalhau esgotado e/ou inflacionado, montras decoradas a luzes e neve artificial (na pior das hipóteses, algodão), pais natais assustadores a sodomizar renas e aquelas criaturas pequenas – acho que se chamam crianças – a berrar por todo o lado.

Apesar dos pesares, eu gosto muito do Natal. Mas durante uma semana.

* não esquecer: falar num próximo post sobre a flauta-de-pã do Pingo Doce e de como eu imagino que existe uma cabine, algures nas catacumbas desse supermercado, um índio Peruano, a tocar horas e horas a fio com uma lágrima a rolar-lhe pela face embrutecida pelo sol. E alimentado por uma sonda. E sentado numa sanita. Com um macaquinho a limpar-lhe a lagrimita e o cu com toalhitas húmidas Kandoo. (uau isto dava um slogan)

quarta-feira, outubro 17

Quem sou, de onde venho e para onde vou?

Sinto muita pena e até alguma angústia de:
- Levar muito tempo na secção dos iogurtes a escolher qual o pack que quero levar para casa. Há muitos factores a comparar: preço, sabores, calorias, índice glicémico, existência ou não e de que tipo de brinde, se me apetece com pedaços, ou cremosos, ou liquidos, ou saciantes, ou de soja, ou biológicos, ou de aloé-vera, ou ainda as versões sobremesa e, dentro das versões sobremesa é chocolate, com natas ou apenas um travozinho a bolacha maria? Ah! E que bichos é que eu quero no meu aparelho digestivo? Bifidus activo ou L Casei Imunitas? E mais - eu gostaria de regularizar o trânsito intestinal, quero pelo amor de deus a santa bolha Actimel para me proteger dos males do mundo e claro está, eliminar o nosso amigo colestrol. Segundo os senhores que fabricam os iogurtes eu devia estar a tomar 1 actimel de manhã junto com o benecol e se quero tratar da tripa tenho de mandar um Activia também.
Tanta informação no meu cérebro gera um curto-circuito. Já dei por mim a abandonar o recinto de compra, completamente frustrada porque após 10m a rapar frio na área frigorifica, não consegui fazer uma escolha.
Isto também me acontece com os homens. E é daqui que nasce a grossa fatia responsável pelo meu celibato.

quinta-feira, outubro 11

Euromillions

Amanhã vou jogar no euromillions. Depois dou notícias sobre o resultado. Estou expectante, em principio vai tudo correr bem. Vou mandar um gritinho para o ar, fazer 2 ou 3 telefonemas a gente importante a anunciar o feito, dirigir-me a uma imobiliária e pedir e/ou comprar uns quantos catálogos(que importa quanto custa? o dinheiro para mim não será problema). Logo de seguida vou à Portela ver quando é que parte o próximo avião para a Tailândia. Ou Japão, depois também depende do clima e de como me sentir amanhã - se mais étnico-folclórica ou se mais tecnológico-urbana. Sem malas. Sou pessoa para levar de arrasto uns amigos jeitosos e alegres que animarão o percurso.
Ainda não sei quais vão ser os 5 números escolhidos + 2 estrelas? Alguém se arrisca a lançar um númerozinho ou outro em tempo útil (quiçá a chave parcial ou inteira ou só estrelinhas ou como quiserem). Prometo que, se a coisa correr bem como prevejo, há valentes recompensas. Alexandra Solnado, Professor Karamba e Marcelo Rebelo de Sousa: desculpem-me mas as hipóteses que eventualmente aqui deixarem não são consideradas válidas.