domingo, maio 25

Training with Pai Mei - Eye of the Tiger ou como o gaspacho Pingo Doce é importante na minha alimentação

Hoje vou estar em preparação mental para uma semana de loucos. Será um retiro espiritual com o objectivo máximo de manter o nível de actividade cerebral mesmo muito baixinho. Só quero manter aquele mínimo que dê para descodificar a informação que está no relógio e conseguir saber onde estão os pacotes de leite. De resto, concentração total e contacto com o inner self de acordo com os preceitos menos racionais. Palavras de ordem – inspira, expira.

As tarefas da semana que se aproxima incluem, entre outras coisas, evitar cerca de cinco mil vezes (tendo em conta a média de mil por dia útil) ter a palavra “pichota” ou a expressão “puta-que-o-pariu” sempre prestes a sair-me da boca e cultivar uma mente sã exterminando pensamentos absurdos. Nada de estar ao telefone cheia de cerimónias com alguém importante e ter de estar sempre a reprimir qualquer coisa idiota, do tipo “está com gases hoje? Ai eu hoje estou impossível…”

Mas à parte dessas capacidades que eu terei de descobrir em mim, esta semana:

- vou alterar a minha morada fiscal
- vou usar saltos altos num evento chique
- vou reunir provas para fazer andar um processo em tribunal
- vou ouvir muitas vezes panpipes nas chamadas em espera e cantar suavemente a musica original partilhando-a com todo o escritório
- vou inclinar a cabeça em jeito de vénia com o meu melhor sorriso
- vou equacionar emigrar umas trezentas vezes mas logo de seguida lembrar-me que estou prestes a vibrar com o futebol nacional e por isso agora não dá jeito
- vou desejar com todo o meu organismo ter férias
- vou apontar delicadamente o dedo à incompetência e seus incompetentes
- vou deixar a condescendência de parte e usar uma expressão que se me anda a remoer debaixo da língua - “não me chateies pode ser?”
- vou-me enervar com a chuva e com o consequente cabelo à Shakira
- vou tatuar algures entre o pé e o pescoço “a cantar desde 1983” (esta é mentira)

1 comentário:

Anterus Belchans disse...

Rir a esta hora com as panpipes, num desfasamento já considerável só demonstra a minha insanidade.

Se calhar é porque também ando a cantar desde 1983.