quinta-feira, agosto 21

milk pussy (estratégia patética para tentar angariar leitores e que toda a gente faz pelo menos num post)


Garanto-vos que resisti muito. Tive os meus momentos de fraqueza, alturas de vai-não-vai, dúvidas e angústias diversas. Deixar de morar sozinha? Uma das grandes descobertas maravilhosas dos meus últimos meses de vida? Tenham dó. Sempre fui tendo dois dedos de testa para dizer - NÃO!

De vez em quando lá vinha alguém com vontade de me massacrar a mioleira – “e ai que é tão lindo e acho que devias pensar e tem tão bom feitio, etc.”. Propostas que nunca me deram grandes comichões porque o objecto do meu desejo não estava à vista. E como se costuma dizer “Dores que não se vêem não se sentem”.

Mas desta vez… Atentem: 1 semana de vida, cinzenta com manchas brancas e uma barriga redonda de teletubbie. Cabrona da felina. Faz parte de uma ninhada de quatro e não se faz rogada em dar porrada aos irmãos para conseguir a melhor mama.

Ainda com os olhos fechados suscita aquela ternura que se tem pelos cegos (tirando o Rapper do metro de Lisboa e a Rockeira de uma certa e determinada cantina).

(Esta cantina merece aqui um reparo. Certa vez, numa mui atribulada e alcoólica Queima das Fitas, parece que tive uma grande discussão que ia sendo um fight com uma gaja que, tal como eu, não devia bater muito bem da cabeça. Acontece que eu fui aplaudida pelos cerca de 67 espectadores em semi-circulo. E mais não conto. O grande desentendimento entre nós tinha a ver com o arroz com feijão. Agora é que não conto mais.)

Retomando. Desta vez não consegui resistir ainda que seja a mais devota das devotas aos encantos caninos. E agora? Meus amores eu estou desesperada como uma mãe-solteira!
- que nome é que eu lhe dou? (Sylvia Plath é muito deprimente, Adília Lopes é demasiado weird. Macau? Otite? Maddie? Oh que caneco.)

- e a trabalheira dos cocós? E carregar ração e areia sozinha?

- e se o homem da minha vida é alérgico a gatos e levo a maior das negas só porque tenho uns pelitos de nada no casaco?

- devo permitir que ele durma comigo (o animal) (o animal irracional) (ok, a gata)?

- será que eu vou ser uma boa mãe?

- será que alguma vez poderei levá-la a comer àquelas cantinas onde fui tão feliz?


Pá. Que chatice.

4 comentários:

Emma Bovary disse...

1º - Faz do teu objectivo de vida ensiná-lo a fazer cocó na caixa de areia que vais pôr na varanda (porque se não tens varanda esquece o gato)! Não sei se estás a ver o cheirinho a merdinha tornar-se no teu "natural musk" de casa...

2º - Se tens amor à tua roupa ou ás coisas que tens no quarto, deixa-a fora dele (não vás um dia ter um surpresa)!

Fora isso, enjoy! :)

medusasss disse...

Hummm... Se mudares a areira regularmente não cheira mal, e os gatos não precisam de ser educados, já fazem as necessidades na areia.

Ah! Se ela é assim com a mama da mãe, habitua-te a ser ela a mandar em ti! :P

E bem vinda de volta!
***

medusasss disse...

Nome?

Sasha, Sardinha, Miska, Maria, Milady, Posh, Pepper, whatever... nomes há muitos!

***

Lady Oh my God! disse...

Emma e medusasss:

obrigada pelos vossos conselhos. Actualmente encontro-me fascinada com isto:

http://www.youtube.com/watch?v=l2yjNOV_-mk&feature=related

(Pepper é bem, ou Pimenta!)