terça-feira, agosto 26

não há má publicidade


Senhor responsável pela imagem de campanha que está aqui em cima,

Eu não sou formada em marketing ou publicidade, também não sou designer nem exerço qualquer outra profissão ligada a essas áreas. Mas, e acredite se quiser, tenho dois olhos que são uma maravilha. Eu ouvir oiço mal, e os restantes sentidos não estão assim muito apurados (talvez o paladar até não esteja mal), mas a visão meu amigo, está afinada e treinada depois de muitas horas a praticar actividades estimulantes aos meus olhos – revisões minuciosas de textos, jogos de “descubra as 7 diferenças”, extensas saídas nocturnas em sitos esconsos e de fraca visibilidade e sobretudo, comparações frequentes às medidas do meu perímetro de cintura com as demais concorrentes nesta selva de fêmeas. Tudo a olho nu.

De modos que, assim que recebi o seu e-mail, foi-me fácil reconhecer a besta que há no criador desta campanha. É de facto notável a capacidade lata do ser humano – conseguimos ser extraordinários (para lá do ordinário, repare na semântica do vocábulo senhor doutor) e conseguimos ser – como é por demais visível neste caso – mestres em produzir cagalhões patéticos que só estorvam a visão dos mais apurados e turvam esta faculdade aos que estão ainda em desenvolvimento.

É impressionante. Estas cinco pessoas causam um enjoo e um repúdio que não queira saber. A atitude desgovernada, os sorrisos histéricos, as roupas em desuso, o modo como parecem interagir entre si, a tensão sexual entre os dois elementos que compõem os extremos do grupo e também entre os outros dois homens, o prognatismo vincado do quarto elemento a contar da esquerda, o tom azul desprovido de conteúdo, o mar, o vento…enfim, todo o décor (feito no Paint suponho) vinca a convicção de que o mundo é instável e bizarro.

Se a sua intenção era passar uma imagem de segurança, confiança, fiabilidade, responsabilidade, protecção e inteligência, lamento. Eu não entendo como chegou a isto para atingir o seu target. Isto é uma daquelas nódoas que fazem com que este país seja tão pouco. E não estou a exagerar. A par da corrupção é a falta de brio profissional que seca este jardim. Ou como preferirá, este Garden.

O presente post destina-se única e exclusivamente a libertar más energias e não pode ser considerado SPAM.

2 comentários:

Angelo disse...

E com toda a certeza não será considerado spam, don't you worry!

Queen Su disse...

O qu eeu acho estranho nestes casos, não é a ideia e/ou o conceito ser estúpido, é depois de alguém ter tido uma ideia estúpida, outro alguém ter aprovado, outro alguém ter proposto ao cliente, outro alguém do cliente ter gostado e proposto a outro alguém que decidiu pagar pela ideia estúpida...
É muita gente estúpida pelo meio... isso sim é assustador!