quinta-feira, dezembro 4

hello santa! greetings from ladylândia!


Olá Pançudo. Cá estamos. Mais um aninho. Está frescote. Neve é que não há e tenho muitas saudades. Mas não se pode ter tudo, não é? A vida custa a todos, não é? Pois é.
Fui chafurdar o passado deste blogue e dei conta que te pedi umas quantas prendinhas o ano passado. Pois foi. Mas este ano foi muito complicado, sofri muito e fiquei montes de adulta. Estou mais madura e mais sensata e agora faço coisas diferentes.

Estou a escrever-te, meu bom Papi Natalício, porque este ano sou eu que te vou oferecer coisas. Vou dar-te provas do meu crescimento. Tenho um par de calças 38 que começam a apertar-me. Oh! Estou a gozar!
O que eu queria dizer é que não te vou enviar uma lista. Até porque este Natal, quando todos estiverem animados na noite da consoada; quando a lareira estiver a iluminar os rostos um pouco ruborizados com o vinho do Porto; quando der com os olhos da Mami docemente postos no Papi que tira à socapa mais um mon chèrie enquanto galhofa sozinho o “como dividimos?...HEHEHEHE”; quando a minha avó estiver com uma lagrimita prestes a saltar de orgulho porque a neta mais nova aprende e desenvolve com eficácia os ensinamentos que a neta mais espectacular lhe transmite; quando o chão já estiver cagado com pelo menos um Ferrero Rocher; quando o meu irmão já me tiver dito “butes fazer um jackass? Vamos ver quem é que consegue comer mais fatias daquele bolo de ananás e não vale vomitar pelo nariz”; quando o Mr. Been já tiver oferecido os botões/olhos ao seu ursinho; quando a minha tia já estiver a contar pela quinquagésima nona vez aquela história de quando o meu tio teve uma dor de barriga tão grande que teve de parar o carro na auto-estrada, galgar os rails com a mestria de um veado e correr como se não houvesse amanhã, todo torto pelo pinhal fora…

…quando a noite de consoada estiver neste ponto-de-rebuçado…

…vou colar o nariz no vidro da janela, olhar candidamente para o céu e vou chamar por ti. E com todo o meu coração, com as minhas mãos frágeis coladas ao peito, depois de suspirar mornamente contra o vidro, e escrever “I Love Christmas” graças ao vapor do meu doce hálito, vou-te pedir três desejos com todas as minhas forças.
Constata que não são coisas, nem nada que se compre e repara na minha sapiência conseguida após 25 árduos anos de vida.

Primeiro – que nunca me faltem consoadas desta natureza
Segundo – que nunca tenha dores-de-barriga como a do meu tio
Terceiro – o 1º prémio do Euromilhões (de preferência, até ao 1º trimestre de 2009)

Beijinhos açucarados cheiinhos de mimo, da tua fofi
Lady Dog

ps – curto-te bués.
ps2 - a Lady Cat pode ter isso da foto aí em cima? obrigada.

5 comentários:

Maria Inês disse...

God!!! ahahahha! you're so good my dear;)

R.L. disse...

ahah, brutaaaaaaal! tens um piadão e és querida ao mesmo tempo. gosto pah :)

il lato nero disse...

Lindo! Adorei!

R.B.M. disse...

OHHH a cena do Mr Bean a dar os botões/olhos ao ursinho é definitivamente um eterno clássico... e também quero um chapéuzinho com laçarote cor-de-rosa à la Hello Kitty para as minhas gatas.

misskitsch disse...

Epah... esse cenário da tua consoada foi das coisas com mais nível que li até hoje!