segunda-feira, março 23

ca cena marada

Isto de ter passado mais de meio ano a atender uns telefonemas e a enviar e-mails dia sim, dia não, tem que se lhe diga. O meu organismo está completamente desabituado de trabalhar. Depois desta desintoxicação a que fui submetida, só me sinto verdadeiramente feliz se estiver a contemplar as minhas cutículas (que por acaso estão bem bonitas desde que descobri uma babe brasileira – a Gabi – que faz uma manicura que é um mimo)

Não, eu feliz não estava. Senão não me tinha metido nestas coisas que eu gosto muito de fazer (estritamente profissional, garanto). Mas, agora que tenho coisas para fazer já não ando a dormir tão bem e de vez em quando suspiro.

Pronto, agora que bati no fundo do poço com esta bonita idade, chego à conclusão de que nunca estou bem e nunca vou estar bem, não tenho hipótese. Se eu não gostasse tanto de viver (ainda não entendi se é mesmo verdade ou se estou a tentar convencer-me), valia mais acabar já com esta fantochada ainda hoje.

Se tenho coisas para fazer é porque tenho coisas para fazer, se não tenho é porque não tenho. E ai jesus que sou uma desgraçada cheia de responsabilidades e ai meu deus que em plena idade activa já sou uma inútil.

Quero morar sozinha e ter uma casa só para mim mas quero é ser uma maluca de mochila às costas a desbravar terreno por esse mundo fora – rídicula, eu sei, escusam de abanar a cabeça.
Quero apaixonar-me à grande por um homem-todo-maravilhas mas quero é estar livre como uma
como uma libelinha num prado florido de camomilas e malmequeres e onde ao fundo se encontram acácias a ondular devagarinho e que só lhes falta ter uma plaquinha a dizer “aqui há boas sombras”

(excedi-me mas não faz mal porque o importante é libertar tudo o que me vai cá dentro e que não é pouco, digo-vos já)

É muito complicado isto.
Oh.
Já suspirei outra vez.

10 comentários:

P. disse...

revejo-me em tudinho o que escreveste... um mundo de insatisfação, é o que é.

adoro acácias!

*

Ana disse...

Este é o post que também eu poderia escrever...
Beijo

sweetie disse...

Somos todas umas inconformadas, tá visto. Antes assim do que teres uma vidinha de tédio, não?

miss gija disse...

equilibrar a balança não é facil, apesar da facil compreensão que estamos todos no mesmo barco...deita cá para fora, aproveita e vai ao cinema, telefona aquele amigo que já não vês faz anos para almoçar em 45minutos perto do teu work... ehehe

MissKitsch disse...

Estou a abanar a cabeça em desaprovação





;)

KINHA disse...

Passei aqui para te conhecer e deixar um convite:No dia 30 de Março, estarei embarcando em um cruzeiro Santos(Brazil)/Veneza(Itália) no navio “Splendour of the Sea”. Visitarei 3 continentes, 8 países e mais de 20 cidades.
Farei postagens diárias e com fotos, e espero a sua companhia nesta grande viagem. Desde já espero sua visita.
http://amigadamoda.blogspot.com

macaca grava-por-cima disse...

ai a constante insatisfação... Quem não sofre desse mal que atire a primeira pedra...
E é um mal tão genuinamente tuga!!!

R.L. disse...

é entre a fase de termos o que queremos e do não querermos, ou termos a mais ou faltar, é nesse pedaço, que existe aquilo que achamos q é o resto que tem: vida. a que já foi vivida e aquela q temos, sem saber como a queremos. porra, é complicado explicar. vivemos entre as vidas que temos e as que queriamos ter, vivemos no que não queremos e no que afinal "n é bem isto". daí andarmos sempre à procura e não encontramos.

Golem disse...

Estou contigo em tudo e mais ainda nisso da mochila às costas a desbravar o mundo...

E por causa disso estou neste momento num impasse... ;)

Bluebluesky disse...

This is so me...