sexta-feira, julho 24

djizaz

O despertador tocou mas eu virei-me convencida que conseguia dormir profundamente só mais dois minutinhos e depois acordar com naturalidade e sem alarme, fresquíssima. Acordei quase uma hora depois com a minha gata a cheirar-me os olhos, provocando-me o maior esgar de pânico de que há memória.
Corri como uma perdida, a ver se ainda conseguia apanhar aquele comboio que me salvaria a pele no trabalho, chego à estação mesmo em cima da hora, procuro moedas para tirar o bilhete mas não tenho, meto o multibanco a fazer das suas na máquina mas também não dá e faltam só dois minutinhos para a partida.
Corro que nem uma pessoa com um grave défice mental e sem soutien de desporto (o que me confere toda a graça) para o multibanco do outro lado da rua a ver se ainda me resta algum dinheiro na conta e aí sim, foi vê-la (eu) a correr como um daqueles lagartos histéricos que até correm por cima da água se for preciso.
Mal entro no comboio, desato num ronrom praticamente audível (e até sinto o último ossinho da coluna, onde se poderia desenvolver uma cauda a querer abanar de contente) com o ar condicionado e o sossego. Bastaram 10 minutinhos de viagem para entrar no segundo sono mas assim que o primeiro fiozinho de baba ameaça sair desta boca de princesa, entra um filho da puta com um telemóvel daqueles mesmo potentes a nível de ruído, a dar musiquinhas do Angélico para toda uma carruagem vazia.
Portanto, olho para trás com a maior cara de frete que consegui fazer e levanto a sobrancelha de modo a poder transmitir em pensamento os seguintes dizeres
“daaahhh! és trissómico ou fazes-te?? Fazes-me o favor de meter esse aparelho pelo teu cu acima??”
Até que resultou, mas só depois de eu suspirar muito baixinho “fffffffoddddassssss” um minutinho antes de sair no meu destino.
Chego ao trabalho, prontinha a recomeçar o dia como deve de ser e eis que aparece a maior sapatona desta empresa para me dizer
“Mandei-te um e-mail… estou a pensar ir ao Jamaica este fim de semana…aparece…nunca te vejo na noite pá”
É nesse momento que eu inicio as minhas conversas com Deus para lhe perguntar o que é que ele pretende com esta palhaçada toda logo de manhã.

9 comentários:

Laetitia disse...

Apesar da manhã traumática o relato fez-me rir !

Anónimo disse...

Acho que ela te quer!

Angelo disse...

Que bela manhã de sexta feira!

AstroBoy™ disse...

Será que ela te viu a correr para o comboio e tem uma cena qualquer por lagartas histéricas?

Maria Inês disse...

coitadinha da ladycat ahahahah!

Emma Bovary disse...

Olha eu se fosse a ti ia...

Anónimo disse...

Essa foi muito boa! Estás no auge da anedota. É difícil escolher o que me fez rir mais, mas acho que foi a imagem do soutien desportivo (ou a falta dele). "Maior esgar de pânico de que há memória" também foi muito bom. E as conversas com Deus, logo a seguir à "maior sapatona desta empresa", compõem o quadro a rigor. :)

ASS: Pivô tão bonito que apresenta o telejornal de costas.

Lady Murphy disse...

De Lady para Lady,

Querida, de Lei de Murphy eu entendo melhor do que ninguém, acredite!
Vc tá macumbada por ter comentado no meu blog antes dele ficar pronto... é só isso!
Se vc reparar bem de tudo já te aconteceu depois disso. Até seu blog vc ja quis tirar do ar.
Por incrível que pareça, o meu primeiro post ia falar de uma das maiores cagadas que ja me aconteceu. Acontece, que o primeiro post ia ser feito no comentário e não na pg principal. Eis que a Lei de Murphy intercede nessa hora e vc vai lá e comenta. Resultado? Toooooooda essa maré de azar...
Quer sair disso? É só cumprir o propósito e postar no seu blog a sua maior cagada da vida.
Viu como é simples?
Beijos da Lady M.

Sofia Bragança Buchholz disse...

Não resisti a deixar este comentário: AHAHAHAHAHAHA... :-)