terça-feira, agosto 11

coração para totós

Eu quero tatuar a anatomia do coração porque gosto desses estudos feitos às coisas por dentro.
E depois, trago o coração - mas não é o músculo - sob vigília. Não é que ele tenha um defeito em particular. Ele é um defeito em geral.
(também pode ser feitio, não sei)
Ter o coração debaixo de olho é uma tentativa de garantir que não lhe falta nada, para que não haja desculpas, que eu pelo menos já não vivo sem o organismo bem oxigenado, sem contar com as vezes que parece que não me chegam não-sei-quantos litros de sangue bombeados à velocidade de não-sei-quantos kilómetros por hora e ainda por cima tenho alguma tendência a acumular colesterol nocivo e eu não tenho paciência nem vida para andar a benecóis.
E tem piada esta coisa dos átrios, ventrículos, aurículos, a aorta, as veias, as contracções seguidas de descontracções seguidas de contracções seguidas de descontracções, a separação essencial do sangue venoso e arterial e depois,
(e se calhar acima de tudo, não sei)
gosto do que vem atrás, anda à frente, à volta, aos trambolhões e aos encontrões do que entendemos por coração.

1 comentário:

Emma Bovary disse...

O coração é bom e é mau... É tudo! O coração é o nosso "empurrãozinho" sentimental, pela escada acima ou pela escada abaixo.