terça-feira, setembro 29

não é por mim, é por ele

3 comentários:

Anónimo disse...

Eu gostava de ligar, mas tenho o moche e ainda não fiz o carregamento. Uma vez encontrei um saco de plástico do continente cheio de cachorros dentro de uma ribeira. Mas só um é que estava vivo. Trouxe-o para casa com o António e dávamos-lhe leite com uma caneta bic sem carga. Mas o meu pai tinha uma cadela grande e quando vimos já tinha comido a barriga do cachorro.

Amigo de Coimbra

Lady Oh my Dog! disse...

amigo ribeiro, meu bandido!
dá cumprimentos ao antónio, ao josé, à maria, ao pedro, ao roberto, à elisabete, à sandra nunes, à sandra antunes, ao luís filipe, ao quim, à bruna, à tua mãe, à tua namorada e à professora de EVT se a vires a tomar café no Aires.

Anónimo disse...

Acho que estou apaixonada pelo amigo de Coimbra...

E não comas os cornetos do café do Aires, que ele de noite desliga a arca frigorífica. :)