terça-feira, outubro 27

mon amour, mon ami



Um dos meus melhores amigos de todo o sempre mora em Coimbra e é espectacular. É das pessoas que mais adoro em todo o mundo (e olhem que nasci nos States, já fui ao Brasil, Praia e Bissau – mentira, estes – Espanha, França, Marrocos duas vezes, Algarve, etc.).

Conheci-o nas primeiras semanas de Faculdade. Eu não me lembro de quando é que o achei um gajo fixe, mas diz ele que se lembra de reparar em mim no primeiro jantar de curso. Achou-me uma campónia um bocado parva e com um riso histérico, o que não deixa de ser uma apreciação justíssima – na altura eu achava que usar cabelos pelo meio das costas, risco ao meio e corte direito era bonito. Isso e ceninhas hippie, guizos e ponchos. Mas nada disso foi suficiente para impedir uma bonita amizade.

Atenção que também estou em condições de afirmar o meu amor incondicional. Sabem aquela coisa que o Tintim tem no cabelo? Aquela pala que se usava há 6 ou 7 anos atrás e que muito contribuiu para a expansão da cosmética capilar? Pois é, estamos a falar de um indivíduo que gastou rios de dinheiro em géis e lacas para lutar contra a gravidade e manter aquela cena firme e hirta como a franja da Cameron Diaz em Doidos por Mary. Como eu tenho um coração de ouro, ultrapassei com relativa facilidade essa vicissitude que se apresentava todos os dias à comunidade universitária.
Ora tudo isto começou em 2002 e desde então a vida apresenta-se-nos cada vez mais impressionante e cheia de cenas. Não nos livramos de ter um problema ou outro que nos mace o juízo, o que nunca é totalmente mau, porque gostamos de abrir os sapos nas aulas de dissecação (quase sempre por telefone), examinar as peças e brincar com a merda. Acho isto raro e cada vez mais difícil - uma amizade desinteressada que chafurde em várias frentes e em que se partilhe receitas de pataniscas , quando ainda há pouco o assunto era qualquer coisa como a solidão dos jarros numa cabeceira de hospital. Ou a escatologia anunciada na moda das botas de plataforma – ora aí está, mais um bom título para um novo livro de,

adoro o meu amigo de Coimbra.
(e é uma chatice as palavras nunca serem suficientes)

7 comentários:

R* disse...

Ter amigos desses é do melhor que pode haver. Sem duvida. *

Golem disse...

Tens 2 amigos em Coimbra... O outro diz que isto aqui no Disneyworld e sobrevalorizado... eheheh

Woman on the edge disse...

E esse filme, já viste? Bem estranho ;)

Angelo disse...

Amigos desses são do melhor!

vira-latas disse...

fosga-se, também quero um amigo assim. eu também gosto de pataniscas.

Celeste disse...

Eu tenho um amigo assim. Espera!!!

Lady me disse...

Gostei!

Amigos de e para sempre ! :)