sexta-feira, janeiro 8

eh.

“Eu não sou contra...mas também não sou a favor!”

Acho giro. Ainda estou à espera das imagens de entrevistas de rua:

“Acha que os casais homossexuais devíam poder casar-se?”

“Ahmm...devíam-se casar maisómenos...”

Isto do mais ou menos e do assim-assim lembra-me sempre a competência de uma funcionária pública do Centro de Emprego, que ao preencher a ficha da minha mãe, lhe perguntou:

“Então D. Maria José, diga lá, quantos filhos tem...assim...mais ou menos quantos?”

Tenho muita pena de não ter estado ao seu lado nesse momento, para responder prontamente: nós somos uma média de 6,3 filhos.

6 comentários:

R.L. disse...

gente estúpida. DEVEM, PODEM, MERECEM CASAR-SE AS VEZES QUE LHES APETECER.

Leaf disse...

Estas funcionárias são fantásticas!!! xD

E quanto ao casamento não sei porque razão há pessoas que lhes faz confusão - afinal de contas em que é que interfere com a vidinha deles dois homens ou mulheres estarem casados/as? Em nada!
Se eles são mais felizes casados deixai-os casar! LOL

(já agora parabéns pelo blog.. é fantástico =D)

amribeiror disse...

" maisómenos não lhe sei dizer. Digo-lhe a mediana já com o desvio padrão pode xeri? "

De resto parece-me tudo EXCELENTE. O casamento, o teu blog, tutti xD

Ruca! disse...

por mim, casem tudo, homem com homem, homem com animal da quinta, mulher com gato, tudo! o q vale um casamento, no fundo? menos que vestir uma cueca azul no ano novo.

salgados disse...

Isso do dia 'Guêi',
só vai dar mais trabalho à Advocacia...

Curiosamente, a TSF falava em casar num Notário (?!)...

Devem ser Brasileiros.

Funcionária n.X do Centro de Emprego Y disse...

As funcionárias dos centros de Emprego são mesmo fantásticas! E não são funcionárias públicas, com toda a conotação negativa que conseguiram incutir a essas pessoas, muitas deleas excelentes trabalhadores, há de tudo como nos privados.
Em relação à pergunta concretamente dita, tem a sua piada é certo, quem passa os dias interiros a fazer perguntas, em que a que se repete constantemente, é : "quanto tempo trabalhou nessa profissão?" e nunca, mas nunca lhe respondem com um número, é normal que por defeito já se peça, diga mais ou menos.

ah, acho imensa piado ao teu blog... mesmoo, só já não tenho paciência para os ataques aos FP