sexta-feira, fevereiro 12

oreo

Raramente vejo televisão. A televisão que tenho em casa, comprei em segunda mão a um amigo no 3º ano de faculdade (altura em que comprei também um leitor de DVD - assim que o tirei da caixa, percebi que era realmente inútil sem um monitor).
Nunca comprei um serviço de tv por cabo, tenho quase sempre três canais bem sintonizados (a TVI não dá). Regra geral ligo a TV para ver filmes e séries que me vêm parar a casa porque graças a deus que tenho dois dedos de testa para entender que a pirataria é uma coisa extraordinária e o uTorrent uma bênção que bem usada só dá alegrias.
Adoro aquela Mulher Vamp da Câmara Clara, gosto das telenovelas brasileiras, aos Domingos fico muito bem-disposta se consigo fazer o almoço a tempo de ouvir a voz do narrador do BBC Vida Selvagem (é tão confortável aquela voz).
E depois sou vidrada em anúncios.
Agora anda a passar um das bolachas Oreo que está bastante mauzinho. O anúncio é assim – o filho ensina o pai como se come uma Oreo e depois fazem aquela parte cheia de ciência que é mergulhar a bolacha no leite e transportar logo de seguida a bolacha para a boca – posso dizer que este momento está um nojo de mal feito. É que no segundo imediatamente antes do pai comer a bolacha, o filho retira-a com alguma brusquidão das mãos do pai – e é exactamente neste ponto que quero chegar. Qualquer pessoa minimamente entendida sabe que uma Oreo previamente imbuída em leite jamais resistiria àquele movimento violento. Sabe deus quantas e quantas vezes já tive de me deslocar à cozinha para ir buscar uma colher a fim de resgatar a bolacha que sucumbiu à imersão no leite, desmaiando no fundo do copo. Se bem que possa reconhecer que algumas vezes me tenha distraído no período de imersão da bolacha.
Nas embalagens das bolachas Oreo deveria não só vir indicado o tempo ideal para esta imersão como também um pequeno cronómetro em forma de Oreo para garantir a eficácia desta preparação.
São estas pequenas falhas que estragam o que poderia ser uma vida com grande qualidade.

25 comentários:

outrosdias disse...

Concordo plenamente... e acho que, para além do tempo de imersão, também deviam indicar a temperatura a que o leite deve estar. São pormenores importantíssimos para que se possa ser feliz com uma Oreo!

kataryna disse...

LOoool!
Muito bom a ciência das oreos!

Mais um homem... disse...

"Vêm" do verbo Vir.
"Vêem" do verbo Ver.
Oreo? Detesto, é mais ou menos como o Gold Strike, há um motivo que leva toda a gente a deixar de gostar: o excesso.

gi disse...

Olá, não costumo comer bolachas Oreo (ainda não me deu para essas), mas o que me intriga nesse anúncio, é eles dizerem q primeiro se abre, depois lambe-se o creme, e depois é que se mergulha (supostamente sem creme). Mas quando mergulham a bolacha no leite, ela está novamente com o creme todo, e aparentemente intacta. Então é com creme ou sem creme? Já andava para perguntar isto a um consumidor de oreos há muito tempo, mas não conhecia nenhum! :p
beijinhos

Lady Oh my Dog! disse...

obrigada.
eu repito este erro tantas vezes, é uma vergonha.

Lady Oh my Dog! disse...

gi,

depois de lamber o creme, volta-se a montar a bolacha para ser molhada inteira no leite.
acho que é assim...

de qualquer forma, eu sou apologista do no rules, great oreos

Zé da Fisga disse...

Eu nposso explicar à Gi interessada.
Essa problemática do lamber, não é assim tão displicente como à vista desarmada possa parecer, e tem muito que se lhe diga. Mais até! Há muita ciência e só um profundo conhecimento alicerçado em proveitoso treinamento, permite discorrer sobre o assunto.
Então, e agora que os meus créditos não serão com certeza levianamente considerados, primeiro põe-se o creme; bem barradinho, depois lambe-se.
Aprendeu?

Pequenina* disse...

hahaha muito boa esta reflexão, concordo plenamente! =)

Py disse...

Oreos à parte, fiquei fascinada com aquela parte da voz confortável do BBC vida selvagem ao domingo. Quase consigo cheirar os cozinhados da minha mãe mal oiço aquela voz. Memórias da infância! Coisa tão boa. :)

Alma disse...

eu encontrei a voz do bbc vida selvagem no doclisboa. ele fala mesmo assim, sempre.

Rita Maria disse...

Eu deixo de fazer esses erros mal invento uma regra qualquer. Pode ser muito parva, mas o facto de a ter inventado costuma chegar, pelo que partilho a minha contigo: vêem com dois e's, como um par de óculos ou um par de olhos.

PS: Tenho tantas saudades de quando era uma rapariga da primária que nao dava erros em vez de uma tonta de uma emigrante apaixonada em Franciú.

Mak, o Mau disse...

O truque era pôr o gajo do BBC vida selvagem a narrar o anúncio das Oreo.

Aí, seja em movimento brusco, seja em ataque lento à bolacha, tudo seria fruto da natureza e de uma voz melódica.

macaca grava-por-cima disse...

não tenhas dúvidas!!!

Zuza disse...

posso dizer que odeio oreos sem ninguém me julgar?

samytech disse...

Hum...oreos....(imaginem-me agora a fazer aquela cara de Homer Simpson quando vê donuts e a babar-me todo).

E quando comemos oreos e reparamos que todas as nossas cavidades orais estão cheias de uma pasta escura? Hein? Lol.

Jibóia Cega disse...

Lady, desculpa lá mas esqueceste-te de incluir um y na equação: a temperatura do leite. É esta variável que vai interagir com a variável xis (tempo de imersão da bolacha no leite) e por fim determinar a resistência da oreo.

PS - Tive físico-química há quase 20 anos mas isto nunca esqueci, sempre tive a certeza que um dia me seria muito útil na minha vida...

Zé da Fisga disse...

Eu por acaso só tive física, (experiência), e também nunca esqueci.
É evidente que a temperatura...ambiente, conta; e de que maneira.
Aproveito à boa maneira do tal Big qualquer coisa que mandava beijinhos em barda, a dedicar um sincero louvor ao discernimento e bom gosto de alguém que de "pequenino" só terá o Nick.
Um esclarecimento porém, se impõe.
Não é reflexão, mas introdução.
Primeiro do creme, depois da, ou do...idioma.
Ainda bem que gostou e que o Senhor lhe guarde sempre tão distintos gostos...ou paladares. Bem-Haja.

joana disse...

tambem acho q engraçado que depois da criaça lamber o creme voltam a mostrar a bolacha q está intacta com creme e tudo LOL

Lady Oh my Dog! disse...

não sei como me fui esquecer da temperatura do leite...estou vidrada no tempo de imersão da bolacha.

Zé da Fisga disse...

No caso da criança não sei. É realmente estranho e sinto que é de mais para a minha capacidade de raciocínio; transcende-me.
Agora, nos casos de verdadeiro conteúdo, profundos, esses que realmente dão significado às coisas e justificam a existência, É mais fácil que roubar o doce ao bebé.
Acabou o creme? Ora, põe-se mais.
O que vem provar que só é díficil o que se desconhece.

provocação disse...

É fácil, basta observar o radical da palavra em "ver" (está lá o e) e em vir (está lá o i) o que isto faz é que o "vêem" de "ver" enfatize o "e" duplicando-o precisamente devido à força da sua origem. Já o "vêm" de "vir" deriva de uma vogal diferente, não carece dessa firmeza.

(As coisas para que o latim serve, só para esclarecer as mentes brilhantes que dizem que não serve para nada já que é uma língua morta).

Zé da Fisga disse...

Estou extasiado e flutuo num universo desconhecido onde tudo é luz, beleza e êxtase.
Divina senhora "Provocação" de belíssima e indelével inspiração, que qual anjo Divinal veio derramar o conhecimento a quem ainda não sabia, que não eu.
É isso mesmo, mundo!! Que interessa se vêem ou vêm? O que interessa é se realmente se vê quando se vem, ou vêm.
E sobretudo o que essa iluminada senhora clarificou e aqui ficou escarrapachadinho que nem o lobo a salivar ao capuchinho. É que todos se vêem quando se vêm, quando a língua não é morta.
Abençoada seja

provocação disse...

Zé da Fisga: lambes?

Zé da Fisga disse...

Provocação, provocação.
Deixaste bem provadinho pela tua clara e perfeita descrição, que a língua, (latina), para ti é viva e recomenda-se.
Não vais presumir, suponho, que seja teu exclusivo, não?.
BFS, Divina Marquesa.;)

Miss Kin disse...

O leite estava frio, a Oreo não ficou lá muito tempo e saiu mesmo mesmo naquela altura da caixa e então o leite não entrou mesmo mesmo lá dentro, daí resistir. :P