quarta-feira, abril 28

direito de resposta

devias ter um programa de humor em horário nobre.
só te queria dizer isto, um bravo e desejar uma santa noite.obrigada por animares portugal.
é o unico blog q vou acompanhando n tenho paciência p virtualidades e tenho dificuldade em perceber se és ou não a maria rueff.
como nunca falaste do bruno nogueira nem de bebés calculo q não sejas, por isso maria deixaste de ser p mim a mulher mais cómica de portugal.
és tu lady.
é p quando o programa de televisão?
anónimo



Caro (a) leitor (a),

Só para começar sou muito mais alta e boazona que a Maria Rueff, o que exclui, à partida, qualquer hipótese de ser a Maria Rueff.
É verdade que nunca falei do Bruno Nogueira, mas isso dos bebés é mentira. Os bebés, na minha óptica, são pequenos dispositivos de produzir excrementos. Coisas que a Dodot inventa para singrar no mundo comercial.
Quanto à viabilidade da minha participação num programa de televisão (em horário nobre) - propus à TVI a instalação de câmaras no meu apartamento, para um Big Brother Lady oh my Dog!. Também sugeri a instalação de um jacuzzi na sala e cocaína no confessionário. Disseram-me que o mais que podiam fazer era instalarem uma coluna de hidromassagem (até ao valor de 450 euros) no polibã e no confessionário só garantiam Sumol de Ananás. E se é assim não quero.

Mas vamos aguardando.
Beijinhos.

terça-feira, abril 27

segunda-feira, abril 26

triiim

O telefone toca. Papi’s talking:
- Estou em Paredes de Coura!! Mas não há cá festival nenhum! EH EH EH EH!

-_-‘

- Certo, pai. É só em Agosto.
- Pronto, filhota. Vou passar à mãe.
- ESTOU??! FILHA??
- Mãe, não é por estares mais longe que tens de falar mais alto…
- AH OK! ESTÁ AQUI CALOR! VOU BEBER UMA ÁGUA DAS PEDRAS COM LIMÃO!
- Certo, mãe…
- BEIJINHOOOOS!!

Alguém me sabe informar se é possível estar em Paredes de Coura sem consumir estupefacientes?

sábado, abril 24

sos

se é muito mais fácil sentir-me sozinha, sozinha do que sozinha, acompanhada, não entendo nada disto.

quinta-feira, abril 22

bu

Michael Bublé.
Michael Bublé, Michael Bublé, Michael Bublé.
Mi-chael Bu-blé. Michael Bublé.

(podem ir embora. só estou a testar os limites da minha capacidade de sofrimento.)

quarta-feira, abril 21

wtf

Não me digam que firmeza muscular só se consegue com exercício físico, que eu nem posso acreditar numa merda dessas!

terça-feira, abril 20

gisela

A Gisela nasceu sob o signo de Capricórnio, a 29 de Dezembro mas não estava assim tanto frio. A primeira memória que tem é esta: teria uns quatro anos mal feitos, uma otite muito feia e uma birra que se prolongou durante várias horas. Conseguiu apanhar a mãe distraída para se esquivar até à porta da casa da vizinha onde desatou aos pontapés e desalinhou o tapete de entrada. Tudo o que ela queria era o globo de neve com aquelas figurinhas de plástico desbotado (uma já a boiar) no líquido que talvez lhe lembrasse o amniótico. Nunca se sabe muito bem se estas coisas são verdade ou mentira. Isto da psicologia são só suposições.

Gisela cresceu, Gisela aprendeu a viver com os três dedos tortos da mão direita (andava a gatinhar pela casa quando resolveu apalpar a tomada da electricidade e deu no que deu), Gisela sobreviveu àquele episódio no verão. Aquele episódio no verão conta-se rápido: Gisela não sabia nadar, estava ao pé do rio em cima de uma rocha de quatro metros em relação à água e o tio que era doente mental derivado à consanguinidade de duas gerações anteriores, achou graça, naquelas circunstâncias, em dar um safanão a Gisela. 750 ml de água bebida e inalada e Gisela had survived. Eu teria oferecido à Gisela uma t-shirt “I Survived my Uncle”.

Um dia, já a Gisela tinha 17 anos, estava a almoçar em família, quando o seu pai achou que não era tarde nem era cedo. Era já ali. Tombou em câmara lenta para o colo de Gisela e nunca mais deu mostras de estar vivo.

Grande cena, muita confusão, andaram ali uns meses a achar que se calhar era demasiado horroroso para ser verdade. Foi então que a mãe de Gisela achou que também não era tarde nem era cedo e enquanto chegava e não chegava a factura da funerária, foi-se. Que eu saiba não houve nenhum desconto especial. Toda a gente assume que o leve dois pague um só funciona no mundo dos iogurtes.

Entretanto um Natal muito triste e uma Páscoa ainda pior. O irmão mais velho de Gisela finou alcoólico aos 33 anos (deixando viúva a macumbeira Celeste, com dois filhos pequenos, que by the way, morreriam os dois na mesma semana, 33 anos depois – não se deve abusar do cavalo – deixando de vez sozinha a macumbeira Celeste).

Gisela foi morar com uns tios ricos, porcos e maus e apesar de ter uma Esmeralda para lhe aquecer a água a todas as horas e não lhe faltarem as natas frescas no café da manhã, Gisela apressou o seu casamento (o seu bom casamento) com um rapaz muito lindo e tão boa pessoa que lhe aturou o alcoolismo por três anos. Depois ninguém aguentava mais aquilo. Gisela foi para o sanatório. Gisela saiu de lá como nova e fez logo duas filhas. Uma delas morreu nas primeiras horas. A outra é a minha mãe.

relax

Embora tudo indique que sim, as narinas do David Fonseca na capa do novo álbum, não me conseguem engolir.

segunda-feira, abril 19

ideia para um crime perfeito em 3 passos

1. Escolher as vítimas. Perfil preferencial:

– Politico, gestor, administrador (ou um rico genérico) que seja pedófilo ou corrupto. (piece of cake…)

2. Formar uma boa equipa de actores e fotógrafos (com amor pelo crime/ sede de vingança) para a realização de entrevistas e visitas às mansões dos visados, a serem publicadas na revista “O Habitat”.

Método - Cerca de 20 entrevistas a acontecer num período de 5 dias para um suposto número 0. As entrevistas têm por objectivo a recolha de informações preciosas e fotos de interiores/ exteriores. Palavras-chave do relatório pós-entrevista: relíquias, jóias, objectos de arte, quadros, acessos, alarmes, computadores para possível recolha de fotos/e-mails/ registos de chat comprometedores, cofres, ocupantes e ritmo da casa (empregadas, jardineiros, motoristas, cães?)

Material necessário – boas máscaras de silicone, maquilhagem diversa, blocos de apontamentos, canetas, câmara fotográfica, carro com matrícula falsa.

3. Execução dos assaltos/período de chantagem com base nas informações recolhidas e de acordo com o material em mãos.

Eu trato de pensar as entrevistas, recolher e inventariar as “pratas da casa”, gerir os recursos humanos, tratar dos pagamentos, receber beijinhos nas costas das mãos e ser tratada por madrinha.

sexta-feira, abril 16

cuspindo no prato

Certa vez, aqui a je (nunca tinha utilizado expressão tão tosca e à bimba de merda, calças coladinhas ao pacote, etc.) trabalhou numa afamada empresa em Portugal Continental, onde privou com certos e determinados administradores, cujos limites do razoável foram completamente ultrapassados. Aqui a (espectacular) je, tinha em mãos o instrumento que lhe podia abrir portas para todo um mundo novo e carro da empresa, etc. Corrijo – “poderia ter em mãos o instrumento que…”. Assim é que é. Claro que não era condição obrigatória privar com o instrumento ou manusear o instrumento ou abocanhar o instrumento. Isso era se eu quisesse ser mesmo rica, comprar uma vivenda no Estoril e fazer tratamentos em conceituadas clínicas de beleza. Se a minha cena fosse trabalhar pouco e ter uma qualidade de vida média-alta e estar nos quadros de uma empresa muito estável, bastava passar os dias de saltinho alto e bem maquilhada, a lamber o cuzinho (metáfora) e a dar palmadinhas nas costas (não é uma metáfora) e a engraxar todos os superiores em todos os corredores. Poderia optar também, se quisesse um bónus de vez em quando, por ser vaga em algumas conversas ou e-mails, deixando em aberto a possibilidade de acontecer um jantar ou uma esfrega algures entre a fotocopiadora e a máquina do café.
Como tenho um acervo de valores inerentes à minha personalidade sã e justa, apresentei uma carta de demissão muito gira que surtiu efeito imediato. Dei o mês à casa e ala que se faz tarde. Curiosidade – quase um ano depois desta linda história, propõem que eu regresse. Ora, no dia em que a Inditex não tiver roupinha para eu dobrar num armazém muito escuro, até pode ser que sim.
Porque é que eu merecia ganhar o euromilhões? Para nunca mais me preocupar em manter contactos com gente que não interessa para nada e fazer chegar este post a certas e determinadas caixas de e-mail. Também gostava de dar palestras a recém-licenciados (os que não estiveram a aprender os meandros da má fé em certos e determinados departamentos das Associações de Estudantes) para lhes esclarecer certas e determinadas coisas.
Entretanto vou ali à Kheil’s comprar um Lip Balm.

quarta-feira, abril 14

conversa de gaja # 2

Eu é assim: acordo e evito a passagem pelo espelho para não acontecerem crises convulsivas logo pela fresquinha. Meto-me rapidamente debaixo de água quente e todos os dias lavo estes 6 a 8 fios de cabelo e ai de quem me venha com a história que o cabelo não se deve lavar todos os dias. Depois o ritual dura uns cinco minutos – creme hidratante, um roll-on para papos e olhos cansados, uma espécie de base em pó muito ao de leve, um sorrisinho ridículo para o blush, enrolador de pestanas e rímel. Fico linda. Agora a lista de coisas que acho que vale a pena comprar. E baratas, que infelizmente não me posso desgraçar em Dior e Channel.

Pele (que é mista e sensível)

* La Roche-Posay Hydraphase Legere – hidratante de todos os dias, manhã e à noite;
* La Roche Posay Active C – nos dias em que acho que estou a ficar velha e a precisar de combater os primeiros sinais de envelhecimento;
* Yves Rocher Culture Bio Loção de Dia – é bom para variar;
* Vichy Oligo 25 Olhos - Stick Anti-Fadiga Efeito Fresco – resulta. Ou pelo menos sabe bem;
* Pózinho Mágico da Benefit Hello Flawless! – só para dar um arzinho bom e uma cor mais uniforme;
* O Blush, enquanto não chover o Orgasm, é um da Bourjois;
* Cocaína – também gosto muito, mas não se pode abusar porque dizem que faz mal aos dentes;
* Desmaquilhante – toalhitas ou champô Johnson’s Baby (é espectacular).

Olhos

* Sou viciada em Rímel e é muito difícil conseguir sair de casa sem isto. Já experimentei vários de supermercado que geralmente só se portam bem durante uns dois meses. A última aquisição foi o Colossal da Maybeline;
* MAC Zoom Lash – é grande cena. São 15 ou 16 euros bem gastos;
* Sombras tenho várias mas não é nada que me deixe aos saltinhos. Gosto de Azuis e Verdes e tenho uma mais cara – só porque me foi oferecida - da Clinique (bege);

Boca

* Besunto-me várias vezes por dia com um lip-balm, tenho muitos e em todas as malas, na casa de banho, no quarto, no escritório. A minha garantia de qualidade vai para o batom hidratante da Uriage e um super barato da Yes to Carrots que cheira bués de bem a melão;
* Batons a sério - a última boa compra foi um Nude na Rituals.

E bom. Vamos lá parar com isto. Estou-me a sentir tão gaja, louvado seja deus.

terça-feira, abril 13

conversa de gaja

Estou histérica e tenho dormido muito pouco desde que os meus amigos me prometeram trazer do estrangeiro o curvex Shu Uemura. Eu sei que esta situação pode revelar traços de carácter menos interessantes, mas reparem que tudo isto se enquadra numa personalidade de ouro portadora de pestanas pouco abonadas. Para já, mantenho ainda em lista de espera a aquisição do famoso blush da Nars – o Orgasm (estavam à espera de encontrar uma piada fácil dentro deste parêntesis?) e um pincel delineador em bom.
É evidente que o meu orçamento geral sofre com estas partidas que o destino me vai pregando. Eu sou apenas uma pobre mulher que a caminho do trabalho encontra publicidade na rua, passa por perfumarias, espreita montras. E que cansada, depois de um dia de trabalho, só quer ver um bocadinho de televisão ou folhear uma revista descontraída e lá estão aquelas putas magras com pele de pêssego e dentes brancos a segurar um produto milagre que suplica “compra-me! compra-me!”.
Mas bom - não os podes vencer, junta-te a eles. O que é que anda a rebolar nas vossas necessaires? Se calhar eu também preciso. Vamos lá falar de cosmética que ainda tenho uns vinte euros na conta e estou cá com umas ganas de os gastar.

segunda-feira, abril 12

freud,

esqueceste-te de dizer que alguns aparelhos psíquicos incluem o id, o ego, o superego e a superégua.

quinta-feira, abril 8

resultados super blog awards

Ohhhh…
Estou um bocadinho triste porque não haverá festa Super Bock.
Já estava a pensar em fazer t-shirts para toda a gente, estampadas com a menção: “Eu é que sou a Lady!”
Mas pronto, ganhei na categoria Pessoal e ainda me espetaram com uma Menção Honrosa pelo design disto que vos apresenta diante dos vossos lindos olhos.
Acho que me dão 75 euros em cerveja. O máximo que posso prometer (e em jeito de agradecimento pelos vossos votos) é tentar bebê-las todas de uma vez e vir aqui escrever logo de seguida.
Só para ver o que é que dá. Mas presumo que o resultado será semelhante ao habitual.

quarta-feira, abril 7

em defesa da minha amiga lily allen

Estive até agora a tentar entender uma gaja que diz que a Lily Allen devia ser presa porque usa calções curtinhos com collants, quando, THE HORROR! THE HORROR! tem coxas grossas.
Mas eu tenho de vos ensinar tudo? Quando é que vocês – gajas que passam a vidinha a apontar o dedo à indumentária alheia – entendem que uma pessoa cool (ex: a Lily Allen, eu, etc.) pode usar o que bem lhe apetece? Pegando mais uma vez no exemplo – eu – até com uma máscara de macaco enfiada na cabeça, fico bem. Porque sou cool e tenho estilo – justamente o que falta ao mulherio que anda sempre a maldizer.
E o que eu estou farta de ouvir as tontas que, como têm pavor de arriscar vestir saias porque lhes faltam pernas anorécticas ou de usar sandálias douradas com uma bolsa preta porque tal não figura no catálogo da La Redoute, andam um tudo-nada frustradas de não parecerem tão fixes como a Lily Allen (ou Eu – mais uma vez, referência incontornável neste quesito).

Mas sosseguem que não vale a pena tentarem melhorar a pessoa que são.

As gajas nascem e separam-se imediatamente em três grandes categorias:

- As gajas espectaculares, estilosas, cool & fresh & wild & fashion & hot & so on & so on – Eu, a Lily Allen e outras facilmente identificáveis;
- As gajas que se vestem tentando cópias rigorosas dos anúncios do El Corte Inglès e montras da Zara, tendo sempre a pesada consciência de lhes faltar qualquer coisa (não é um cinto, raparigas. É atitude...);
- As confusas desta vida que acham que a chave do estilo é chocar os demais cidadãos (ex. A Lady Gaga, o Macaco Adriano, A Família Adams, alunos do Chapitô, etc.).

Posto isto, All-Star e calças bem coladas ao pacote é o que eu vos desejo.

se a vida te dá limões, faz um caldo


via menina limão

segunda-feira, abril 5

heranças

A minha linhagem está garantida. Alguém que calque os mesmos passos que eu, que me absorva a influência e a coloque em prática todos os dias. Ah…que doce sabor este: o de saber que de geração em geração os mesmos valores são perpetuados. Soube-o quando travei o seguinte diálogo com a minha prima de 12 anos:

Eu – então mas tens outro agora?
Ela – sim…
Eu – como é que ele é?
Ela – é um que anda no 6º ano mas devia andar no 9º.
Eu – Ui, estou a ver. E gostas dele?
Ela – EU SEI LÁ!! …às vezes…
(pequeno silêncio)
Os meus ténis novos são tãaaao giros!

domingo, abril 4

ovos kinder

A coisa mais linda do mundo não é estar a caminho dos vinte e sete anos e receber um envelope “com uma lembrança” dos meus padrinhos. A coisa mais linda do mundo é receber um segundo envelope, dos padrinhos do meu irmão, só para eu não ficar a olhar. Esta merda é linda. E acontece todos os anos, graças a Deus.