domingo, junho 27

lady macbeth

Há uns dias, ao terminar um dia de trabalho, não sei como nem porquê, convenci-me que o jantar haveria de ser sapateira recheada. Antes de avançar para esta história, convém deixar esclarecido que:

a. Nunca tinha feito sapateira;
b. Não disponho de um aquário em casa com sapateiras.

Dadas as circunstâncias, dirigi-me - devidamente equipada com um exemplar humano com uma taxa de virilidade acentuada – ao supermercado para adquirir uma sapateira. Viva. A pequena estava docemente deitada sobre uma cama de gelo com outras amigas sossegadas, cujos olhos húmidos apreciavam companheiros marinhos defuntos. Raminhos de salsa artificiais tentavam atenuar os dentes agoniados das enguias mas as pessoas especiais e sensíveis como eu, não ficam indiferentes. Finda a compra, apressámo-nos para a minha cozinha, onde tudo iria acontecer.
O homem que pactuou comigo neste plano é uma pessoa de espírito nobre. Quando lhe pedi para matar a sapateira, esguichando vinagre nos olhos da vitima, enquanto eu fumaria um cigarro na sala, comprovou-o uma vez mais.
O “já está” soou a música para os meus ouvidos.
O tacho borbulhava e eu tinha a tenaz na mão. Tudo o que tinha de fazer era agarrar no cadáver e mergulhá-la na água fervente. Desenhava uma meia-lua do prato para o fogão quando – ah! – o animal estava vivo e a espernear (espatear?) na confusão do vapor e naquele terror optei por mergulhar o crustáceo vivo a suplicar por não finar daquela maneira.
Nos segundos que se seguiram, eu fiquei a olhar o horror dos últimos blurps-blurps-blurps, enjoada com as minhas mãos impiedosas enquanto o meu homem suspirava “huumm...jacuzzi...”.

Quantas horas de terapia é que isto me vai custar?

terça-feira, junho 22

fora isto, elaborar raciocínios está fora de questão

Mojitos e amêijoas à bulhão pato.
Mojitos e moelas.
Mojitos e morcela assada.
Mojitos e caracóis.
Mojitos e pica pau.
Mojitos e ir a Marraquexe é que era.
Mojitos e a nova wii.
Mojitos e apalpões no sofá.
Mojitos e bingo.
Mojitos e daqui a um mês estou de férias.

Concluindo - estou a precisar de um plasma para a wii e uma picadora de gelo para fazer Mojitos. Ninguém tem nenhum destes a mais aí em casa, não?

segunda-feira, junho 14

último post de 2010 com a referência "santo antónio"

Como sou abençoada em milhares de milhões de coisas, Deus (um barbudo de túnica de linho que supostamente olha por nós), justo e bom, decidiu que a minha vida não poderia ser tão fabulosa, não fossem os restantes seres humanos ficarem ofendidos com a diferença. Achou por bem conceder-me o azar para todo o sempre nas questões da pasta do Santo António. Reúno condições e factos que possam comprovar a suspeita aqui lançada. Graças a Deus também, tenho um temperamento engraçado para enfrentar o insucesso amoroso que caracteriza a minha vida. Custa muito, é verdade, partem-me o coração como quem estala amendoins numa esplanada (Os golos são como ketchup; podem demorar a sair, mas vêm todos de uma vez). Mas uma vez recomposta dos pontapés na boca, não ficam mazelas para amostra. Nada como pensar que um dia é que vai ser. Que não tarda nada vem aí muito amorzinho do bom e cheio de modas. Manjerico oferecido no dia 12 com direito a quadra patética e momentos kodac. Suponho que virá numa manhã de nevoeiro. Um bocadinho de sorte ainda será um Sebastião. É esperar para ver.

sexta-feira, junho 11

os nativos de portugal

Local: Campo de Ourique, Lisboa

Hora: 9h42

Situação: Condutor A começa a fazer uma manobra que implica um pequeno tempo de espera por parte do Condutor B.

Condutor B abre a janela: ffffffooda-se ó pá!!
Condutor A puxa do travão de mão e sai do carro: Ó SEU FILHO DA PUTA! ENTÃO EU ESTOU COM A MINHA FILHA NO CARRO E TU DIZES FODA-SE? VOLTAS A DIZER FODA-SE MAIS ALGUMA VEZ E EU *gesto de punho cerrado*
SEU CABRÃO DO CARALHO! ENTÃO EU VOU COM A MINHA FILHA NO CARRO E TU ESTÁS FODA-SE? TU ESTÁS FODA-SE? MAAAAAU.

Condutor B entra para dentro do carro e o mundo regressa à aparente normalidade.

terça-feira, junho 8

e já agora, porque é que fertilizaram os meus ananases desta maneira?

go ahead, make my day

farta de ouvir os meus amigos e farta de ler comentários e e-mails e mensagens via facebook a respeito da fraca qualidade dos posts dos últimos tempos, convido-vos a utilizar a caixa de comentários abaixo com:

1. as vossas estimadas reclamações;
2. as vossas queridas considerações sobre tudo isto;
3. as vossas elevadíssimas sugestões;
4. as vossas prezadas soluções para tudo isto;
5. as vossas muito desejadas contribuições financeiras ou em géneros para que possamos realmente melhorar o serviço prestado (quando falo no plural já sabem que sou eu e os meus peitinhos de rola).

domingo, junho 6

get ready, get set, go!

Acho incrível que uma breve conversa com um taxista às 3h42 ao sexto dia de Junho de 2010 tenha terminado com um pedido do meu número de telemóvel para o envio de uma sms se algum dia precisar de um táxi (wtf? ah! marketing agressivo!, pensei em conjunto com a minha taxa de alcoolemia).

“mas posso-TE ligar para tomar café e conversar?”

(ui, é hoje que apareço no jornal da noite!)

Dois segundos de pânico: um a confirmar que a porta estava destrancada, outro para abri-la sem parecer que padeço de esclerose múltipla.