sexta-feira, março 4

O ano passado por esta altura, em teoria, era uma jovem mulher financeiramente desafogada. Mas, como sabeis, shit happens, nomeadamente a convivência com os meus pais. Foram-lhes suficientes a preparação de uns bons petiscos e a ajudinha de uma primeira insolação primaveril para me sacarem uma assinatura que, vejam lá o disparate, autorizou o banco Santander a levantar todo o meu património financeiro, amealhado durante meses e meses de intenso esforço e permanentes recusas do copo de 500ml aos balcões onde pedi mojitos, de olhos rasos de água, a anuir às mínimas medidas de consumo.

E foi com esse gesto tão doentio que tudo mudou - já não me restam 33 anos para pagar um crédito à habitação. Se tudo correr bem, fica tudo pago em 32 anos e meio.
Embora me console a ideia de que o meu banco fique um pouco melhor com todo aquele avultado montante de quatro dígitos que possivelmente significou algum ajuste na bolsa de valores, não posso deixar de me sentir, todos os dias e desde então, na miséria. 

Toda a gente sabe que há uma relação horrível e injusta entre o saldo disponível e a vontade de adquirir produtos e serviços. E que essa tensa relação se agoniza com a passagem do tempo, anúncios da subida de taxas, más condições meteorológicas, desajustes hormonais ou um rímel que borra. Acreditem que existe a apocalíptica possibilidade de existir uma pessoa no mundo a viver tudo isto cumulativamente e que (mãe, quero voltar à infância) ainda tem o IRS para fazer.

ps - foi uma força de expressão: é claro que não quero voltar à infância. A julgar pelo preço da psicoterapia, nunca deveria ter passado por outro estádio de desenvolvimento senão o que me encontro.

5 comentários:

vinho um ritmo de vida disse...

Bom dia,

visualizwi o seu blog e adorei! Nós temos um blog sobre vinho e gastronomia e gostaria muito de pedir um favor parasi.

Se poderia colocaro lnk do nosso site no seu blog... Ficariamos bastante gratos. Assim o seu blog teria algo sobre vinho, um pouquinho..

Forte Abraço

Cindy Lima disse...

Tipo, adorei.

RBM disse...

melhores dias virão, cheer up

Anónimo disse...

queres mesmo deprimir? começa a juntar dinheiro para quando tiveres toda enrugadinha e de andarilho, sem sexo e sem dentes ;)


g

Anónimo disse...

Mas que pormenorizado relato e que grande importância a vida dos outros...e se estiver toda enrugada ou não, qual o vosso problema? tanta falta de dignidade e educação.

Vai para caralho e desaparece da vista, pá!!!