domingo, setembro 11

patine

há uns anos foi a mesma coisa e olha eu aqui. nem é a primeira vez que tenho a tendência de me maravilhar perante o horror. depressa as possibilidades são todas. volto a suspirar pelos cantos só porque sim, é uma paixoneta com os meus cotovelos para reviver, a miragem de um dia é que vai ser, aqueles futuros abraços, livros de bolso, congressos como um regresso às aulas, filmes que deixei a meio quando adormeci, revistas da especialidade e revistas cor-de-rosa, imensos drinques de três ou mais ingredientes, hotéis com uma vista espectacular, lembrar-me da geometria dos círculos. nem tudo está perdido e mais é domingo. 

Sem comentários: