quinta-feira, dezembro 1

a pouca vergonha que para aí vai e que até a mim me mete nojo

Copiam um post de um determinado blogue, não usam aspas nem escrevem em itálico nem linkam o referido texto, ou seja, nós lemos tudo como se fosse da sua autoria, e, no final, põem em letras bem pequeninas e muitas vezes de outra cor, ou seja, de uma maneira quase impercetível, um "daqui" com o tal link. Desculpem, mas também não concordo com isto. Acho que o nome do autor do post, da frase ou do que quer que seja, deve vir sempre visível com o texto, caso contrário não é plágio, mas anda lá perto.

Kitty Fane acerta na mouche.

14 comentários:

Gustaf Lasagne disse...

Pessoa que, nitidamente, não têm mais nada para fazer. Em vez de serem originais, preferem ser preguiçosas e mentirosas... É triste.

Águia Pairando disse...

Mas se até a si mete nojo, é porque você também plagia, se bem que de maneira não tão evidente, ou mais elaborada.
Pessoalmente é a interpretação que faço ao título do seu post

Lady Oh my Dog! disse...

ah sim? mas porquê? será que estou a plagiar o meio milhão de portugueses e portuguesas que usam a expressão "a pouca vergonha que para aí vai" ou "até a mim me mete nojo"?

é isso?

Águia Pairando disse...

Bom, pelos vistos não compreendeu, ou não está a ver bem a coisa.
Veja bem. A expressão "A pouca vergonha que para aí vai" está correcta. É alguém que se insurge para o que vê de vergonhoso para aí.
"Que até a mim mete nojo" Está mal porque se até a si mete nojo isso quer dizer qua você está de conluio com a pouca vergonha, em todo ou em parte.
Para se mostrar contra a pouca vergonha, devia dizer assim.
"A pouca vergonha que para aí vai mete-me nojo"
Até a mim é porque nem toda lhe mete nojo porque concorda com alguma.
Em vez de se estar a zangar comigo, devia era mudar o título do seu post. Viu? É isso.

a.i. disse...

Águia Pairando, não, mim expilica:

"até a mim me mete nojo" significa que a LOMG não se costuma enojar com muitas coisas (ela não
é nojentinha, portanto), mas que esta pouca vergonha em particular até a ela (que não se costuma enojar) enoja. Viu? É isso.
(e plagiei a sua frase final e tudo)

Águia Pairando disse...

Como quiser.
O Sol continua a brilhar, o gato a vadiar, o cão a dormitar, o papagaio a praguejar, a padeira a amassar, o forno a cozinhar, a donzela a sonhar, a bela a desfrutar, a feia a cogitar, a dona de casa a lamentar, por que raio me fui casar, se solteirinha é que está a dar, o gajo a ver o benfica jogar, e eu para não mais pensar, por aqui vou acabar, sem ninguém se magoar, saio daqui a voar.
E para terminar, a todos vou desejar, um rico dia sem azar.
Eheh...

Lady Oh my Dog! disse...

obrigada pelo esclarecimento a.i.

águia pairando,

que cansativo, a sério. li tudo na diagonal e, e.

Águia Pairando disse...

E quem lhe mandou ler? Isso foi para o ai ai que veio incendiar isto. Outro conflituoso, está-se mesmo a ver.
Para si serve-lhe de lição para deixar de ser curiosa, que o tempo que perde a ver o que não lhe interessa podia bem passá-lo a estudar dicção.
Até a mim, até a mim. Essa não me sai da cabeça

Anónimo disse...

Cara Lady, permita-me desafiar os deuses e comentar, concordando com o seu post (ou melhor, com o da Kitty Fane) e usar o meu direito de me expressar (caso permita, claro).

Quanto ao blog onde isso acontece de forma inaceitável, deixo algumas considerações. Nada de dramático nem escrito entre espuma a escorrer-me dos dentes nem olhos raiados de sangue, apenas ... pá, escrito, pronto. Não sou de dramas, para quê complicar?
Aqui vai:
E a maioria das fotos por lá? Créditos? Para quê? "Ladrão que rouba a ladrão tem 100 anos de perdão"? Não me parece, e aquilo tudo é tão pouco razoável...
Quanto aos textos, espanta-me que à velocidade que "posta" não plagie muitos mais e mesmo à descarada, sem link (quase invisível) e sem qualquer referência à fonte ou autoria. Mas, oh ai senhores, Aqui D'El Rei, de quem se exprima contra aquela senhora... E isso é que é tão triste, pequenino e feio. Aceitar uma crítica, quando justificada, é das maiores demonstrações de tolerância, boa vontade e sinal de civilidade. Mas ali não cabe nenhuma destas características...
Por isso, sabe que mais? Muito tempo sem nada para fazer e muita, mas mesma muita, mania de superioridade moral em relação aos demais é só o que por ali abunda e isso é absolutamente intolerável a quem, alegadamente, é informada, tão tolerante, tão feliz, cheia de boa vontade e boa energia e desempoeirada.
Honestamente? Aquilo é, a meu ver, tudo uma fantochada pegada e apenas se começam a ter sinais, evidentes, disso. É o que acontece quando se começa a perder o controlo e, sobretudo, e aqui é que está a resposta àquele comportamento, a esperança.
Só alguém desesperançado e sem trilho é que insiste na mesma e mesma e mesma tecla, até alguém acreditar, sobretudo ela mesma. (E deve ter que convencer alguém mais a quem eventualmente tenha causado "danos" num passado recente, enfim...)
Que sim, que continue a convencer-se de que a sua vida, da criatura não a sua, é aquele mar de rosas, que sim, que somos todos uns infelizes, os que ousamos criticar e dizer aquilo que pensamos, que sim, que só aquela vida é maravilhosa e que os demais, como não têm uma vida idêntica (e se calhar, por acaso, até verdadeira), nada têm de dizer ou sequer indignar-se quanto à falta de pudor e vergonha na cara.
Nunca acreditei nem em contos de fadas nem em boazinhas. Deve ser um problema meu, que sou infeliz que dói, ai que triste que eu sou e a quem a felicidade e a capacidade de discernir o falso do verdadeiro manifestamente não me assiste.
Lady oh my dog, faça o grande favor de me desculpar por usar o seu espaço para expressar modesta e incorrecta opinião (claro) mas, infeliz e desgraçada que sou, não sei para mais... Obrigada.

Quanto ao batalhão defensor, já basta do "se não gostam não visitem". A quem pensa assim, uma sugestão, ide olhar mais o mundo em redor e capacitarem-se de que mesmo aquilo que não gostamos deve ser olhado ou aquilo que está mal jamais mudaria.

Já agora, mi Lady, escreva mais, por favor, de si todas as saudades, gosto tanto da sua "imperfeição" tão real, por vezes comovente, outras divertida mas acima de tudo, humana.

Catarina

Lady Oh my Dog! disse...

catarina,

acho que não há dúvidas que estamos a falar do mesmo blogue que já me irritou em tempos por me fazer sentir tão diminuída e com uma vida tão miserável em comparação com. mas depois caguei. e até comecei a achar hilarante de tão over-sentimental e over-happiness e over tudo.

agora, os plágios aos textos e às fotos são mesmo fora.

bom, mas estou mesmo a comentar para te dizer obrigada!

Anónimo disse...

Ah Grande Catarina!!!!
É assim mesmo!
Tanto frufru quando nem se lembram de colocar a autoria das imagens e fotos que utilizam para ilustrar o que lhes vai na (eu ía dizer alma) ponta dos dedos!

Pulha Garcia disse...

Em defesa da Lady (não que ela precise, mas sempre é uma lady), sem sequer ter lido (ou tencionar) o post da Kitty Fane, e não sendo eu um blogger que se preocupe especialmente em ser roubado em textos, gostaria apenas de dizer que fazer-se passar por outra pessoa utilizando textos que lhes não pertençam é sempre um bocado para o baixo. É normal que quem seja roubado nos seus textos não goste e o facto de se utilizar imagens de outros sites em blogs não é comparável (o que está em causa quando se utilizam imagens disponíveis na net não é propriamente sugerir que a identidade da pessoa que tirou a foto e que a utiliza num blog seja a mesma). E quanto ao resto, boas festas. Al Gore sou eu e tu.

Aflito disse...

Há tanta gente anormal no mundo, e eu não me sinto plagiado por causa disso! :|

POC disse...

Águia Pairando,

Já sinto a sua falta!

PS: tinha razão no comentário. Não pode ser "até a mim mete nojo", senão é como se um criminoso criticasse outro, só porque o crime era maior que o dele.

Obviamente que o que está em questão, é o plágio. Que é de lamentar. Ao menos fica a saber que a seguem.

http://simaoescuta.blogspot.com