segunda-feira, janeiro 31

o maravilhoso mundo dos reviewistas da cosmética

já que falamos de maquilhagem, e muito rapidamente porque tenho o frango com mel e mostarda dijon no forno, tenho de confessar o meu último guilty pleasure. 

um breve preâmbulo - tenho trabalhado consideravelmente imenso bué e por consequência estado permanentemente sob uma névoa de tensão e angústia (tenho o frango no forno, tenho o frango no forno), bom, não me dá para ler nem a Vogue  e o meu cérebro não decifra a programação nacional (tenho o frango no forno) portanto, chego a casa e entretenho-me a ver reviews de produtos cosméticos (!)

encontrei para já duas pessoas muito lindas, que vos apresento (no seguimento do produto abaixo apresentado), com muita esperança de não ser a única pessoa a achar graça a isto (o frango! adeus!!!) 



ai melhere que já nem consigo viver sem isto #1

quinta-feira, janeiro 27

a mais importante dinâmica portuguesa (para entender melhor este país)

se não está em reunião, está em serviço externo.
se não está em serviço externo, está em reunião.

e nunca saberemos para que servirá um "telemóvel de serviço" se lamentam imeeeenso não "dispor de autorização para facultar essa informação".

quinta-feira, janeiro 20

está bem,

troco este blogue por um iphone. mas dos melhores.

já não sei se disse ou não disse, bom,

queria tanto ter um iphone. 
se alguém quiser posso trocar por uma bicicleta estática + um portátil toshiba de 2001 que já não funciona mas pode-vos fazer falta para peças + um nokia 3310 (aposto que têm saudades de ter um! essas sms's é que eram boas, agora já nem há disso).

domingo, janeiro 16

a fauna dos centros comerciais num sábado à tarde:

“Joana, é assim, tipo, eu estou numa relação – como sabes - mas até parece que não estou numa relação, repara, é que tipo, em termos de sair e isso, estou bué à vontade, não há diferença nenhuma, estou completamente na boa, não há stresses estás a ver? Tens de lhe dizer que não pode ser assim, ele não pode mandar em ti dessa maneira, não sei, fala-lhe de mim, diz-lhe que queres ser como eu, sentires-te mais livre, pode ser que ele entenda...”

já estou a imaginar, três horas depois...

“mas entendeste, Chuchu? Só quero ser como a minha amiga... Ãhn? Não te oiço aí da dispensa, Chuchu...
(...) Não...não sei onde está o garrafão da gasolina...”

quinta-feira, janeiro 13

atenção

suas bloggers plagiárias: estou atenta.
quem avisa, amiguinha é.
olhem que depois ficam a chorar no quarto, agarradas à almofada, a berrar "porquê? porquê? porquê?".

terça-feira, janeiro 11

A minha vizinha é uma pessoa que, à partida, tem peso a mais, o marido deixou-a porque não aguentava mais o seu transtorno obsessivo-compulsivo (sacudir o tapete da entrada de vinte em vinte minutos), é proprietária de quatro gatos muito gordos e para mal dos meus pecados, ouve Mafalda Veiga. Para os estrangeiros que acabam de chegar a este blogue, Mafalda Veiga é uma pessoa que tendo algumas deficiências ao nível da fala (fanhosa) insiste em cantar e compor temas – OH MEU DEUS, PREPAREM-SE, VOU DIZER THE FORBIDDEN WORD – delicodoces. No sábado passado fui acordada ao som da perturbadora Pássaros do Sul e com toda a calma que me caracteriza pela fresquinha, pensei demonstrar os meus sentimentos com algumas palavras de desagrado:

PÁSSAROS DO SUL É MAS É O CARALHO VAMOS LÁ BAIXAR O APARELHO

Não foi o que aconteceu. Recordei que a violência nunca é uma boa solução e quando tinha treze anos aprendi num livro de auto-ajuda que devemos tirar partido das coisas más que nos acontecem.
A solução que encontrei: de pé em cima da cama, agarrei no pé do meu namorado – uma guitarra imprescindível – e reproduzi à Rammstein PÁSSAREN DER SUL/ BANDOS VON ASAS SOLTAS (sem perder a melodia). Rematei com um gritinho entusiasmado IU-HUUU! TÃO BOM! DÁ-LHE MAFALDA!
Et voilá – silêncio no prédio.
A maturidade tem-me concedido uma vida melhor. A minha vizinha, desde sábado, também.

domingo, janeiro 9

então mas ninguém se chega à frente com um bom post com as palavras castro e castrado?
não posso ser sempre eu.

terça-feira, janeiro 4

2011 - a primeira boa acção

na fila do supermercado, à minha frente, uma gaja com uma pulseira power balance e umas reebok easytone. pensei meter conversa, dizer-lhe que uma coisa corta o efeito da outra.
mas não - ano novo, vida nova. estou orgulhosa de mim.

2011

o mais difícil tem sido a inveja que sinto de quem recebeu um iphone pelo natal.

(.)(.)

a menina limões postou abusivamente uma foto que eu lhe dei. tenho pena que não dê para ver bem, mas acreditem - o colar é mesmo lindo.