terça-feira, abril 26

sos

Tendo em conta que tenho cerca de oito pestanas loiras em cada olho (The horror! The horror!) e também dois enormes papos onde se alojam borrões de má cosmética que me concedem aquele certo ar de Mário Soares meets Panda, preciso mesmo de saber de uma vez por todas qual o melhor rímel de sempre.

Ajudem-me pelo amor de deus.
não aguento mais viver desta maneira.

segunda-feira, abril 25

olho para

algumas relações como se fossem anúncios aos pensos higiénicos: a coisa parece muito mais divertida do que realmente é.

segunda-feira, abril 18

não insistam

eu não vos posso contar como é que foi o meu fim-de-semana que um dia destes a minha mãe ainda descobre este blogue e depois tínhamos conversa até à minha menopausa.

glossário:

menopausa - altura da vida em que as mulheres ficam muito fora e a que, vistas bem as coisas (ex. comportamentos de fins-de-semana, estimo não chegar.

quarta-feira, abril 13

domingo, abril 10

'tou chei daoubir

A minha tia sempre deu de comer aos gatos da rua mas agora decidiu adoptar uma sortuda para viver dentro de casa. 
Por mim está baptizada. Natacha Kampusch.

resolução de conflitos - lição n.º 1

Estava na fila de um conhecido supermercado que gosta de centrar o seu marketing em músicas parolas, a preparar-me para colocar os meus artigos no tapete, quando se aproxima um indivíduo a achar-se claramente o maior – e com razão, tendo em conta a medição do seu perímetro lombar. Nem com licença nem dê-me um jeitinho - aquela cabeça gulosa estava de tal forma focada em alcançar os sugus que não percebia ou fingia não perceber que existia um obstáculo a ser contornado e não esborrachado pela sua extensíssima camada adiposa. 
Caso ainda não tenham entendido, eu fui esse objecto no intervalo Bimbo Gordo – Sugus. 
Quando se está a tentar colocar iogurtes no tapete, segurar um cestinho de compras e manter a orelha direita no menor contacto possível com um pescoço desconhecido, está-se também na iminência de sofrer um histérico ataque de nervos. E foi assim que me saiu um “ó pá, foda-se!”. 
Na verdade não fui educada com uma primorosa escala de vocábulos permitidos e não permitidos, mas o seu uso sem necessidade dava-me direito a reprimendas (do género “voltas a dizer ****-** que vais ver”).
Mas foram essas palavras mágicas que permitiram que o orangotango em hipoglicémia se afastasse, percebendo que debaixo do seu 38 copa DD existia vida. 
Semicerra os olhos e diz-me “o que é que dissestes?!!” e eu “disseste” e ele “ãhn??!” e eu “o correcto é disseste e não dissestes”.
“Ahhh ‘tá bem, é como queira” e eu a partir do momento em que deixam de me tratar por tu considero o assunto encerrado.
Uma pequena nota – homens com love handles do tamanho de ananases: os sugus não são a solução.

terça-feira, abril 5

a questão é

como é que o mundo pode confiar no bom funcionamento das centrais nucleares quando a referência nos recursos humanos é o Homer Simpson?

agora sim

alguém está verdadeiramente esgotada :|

sábado, abril 2

caras fashion bloggers,

pelo amor de deus, escolham de uma vez por todas:

ou têm blogues com fotos de gajas muito belas e magras e sensuais e sem um buraco de celulite ou prega de gordura mesmo nas posições mais incríveis;
ou têm blogues de food porn, com fotos de cupcackes e croissants com batidos de morango em segundo plano. 

da próxima vez que escolherem imagens, não se esqueçam que do outro lado do ecrã há pessoas sensíveis que nem sempre sabem gerir as suas vontades.