quarta-feira, março 28

aterrador


"sinto que é uma visão demasiado pessoal, demasiado intimista, demasiado extensa, e que não vai, mesmo, interessar a quase ninguém"


Sendo uma quase ninguém, só me posso sentir ameaçada com este discurso.

20 comentários:

Anónimo disse...

LOL

Anónimo disse...

aterrador o quê?
eu acho aterradores os pimentos, mas já provei

lisabel disse...

Não consigo ultrapassar a falta do til nos corações...

Ideafix disse...

Por esta e por outras, vou já a correr ver isso. Onde está?

Tiago Ramos disse...

Obrigado. Alguém que também achou uma conversa tão parva quanto eu.

fake disse...

o gajo é tão burro.... que nem vale a pena.

Bluebluesky disse...

falou e disse!

Lótus disse...

E a mim que me interessam os enconadinhos...

Diana disse...

Lá estão vocês a obrigarem-me a ir ;
a ler... Ca nervos

Menina Limão disse...

Estou muito feliz com tudo isto.

Tina disse...

Usando essa faca de dois gumes que se chama preconceito (olá preconceito!)e fazendo alarde dessa coisa sagrada-acima-de-tudo que é a liberdade de expressão (olá liberdade! como vai a expressão?) aqui fica a minha opinião:
"Vai uma apostinha em como certo livro vai ter mais de 500 leitores? E a culpa não é dos leitores, que são estúpidos, é de quem faz estes livros e se acha mais esperto por isso."
"sinto que é uma visão demasiado pessoal, demasiado intimista, demasiado extensa, e que vai apenas interessar às Carlas Andreias encalhadas que suspiram pelos Mários Andrés desta vida."

Leide, eu fui hoje ver o filme. Deixo-lhe aqui uma interessante entrevista ao Gonçalo Tocha. Provavelmente já a leu. http://www.ionline.pt/boa-vida/goncalo-tocha-sempre-saiamos-corvo-pensavam-nao-iamos-voltar
Saudações blogoesféricas

Sherazade disse...

Lady, assim são 500 pessoas que não comprarão o livro do Emproadinho!

Também tenciono ver o filme, por isso, quando me perguntarem pela minha identidade, passarei a citar Frei Luís de Sousa e a responder "ninguém".

brilhosquenaobrilha disse...

ou vês o documentário ou basicamente és uma imbecil que nunca chegarás aos calcanhares do Deus da sabedoria.

Tolan disse...

É assustadora a convicção que o post do Arrumadinho me deu que eu vou adorar o filme. Faz-me lembrar um ex-colega meu que reagia muito mal a humor bom, dizia sempre "aquilo era uma estupidez!" Era certinho, foi graças a ele que vi o Office ou descobri o Bruno Aleixo e o Sacha Baron Cohen. (só para citar uns exemplos).

Rita Maria disse...

Vou hoje vê-lo, não resisti. Uma desrecomendação do Arrumadinho tem demasiado poder sobre mim.

Rita Maria disse...

Era fantástico, confirma-se.
(e a sala tinha dois ou três lugares vazios, se tanto)

Isa disse...

se a venda dos livros dele nao ultrapassar os 500 a culpa não é dos leitores, que são estúpidos, é de quem faz livros assom e se acha mais esperto por isso.

a.i. disse...

Ohpa, acho que já escrevi isto noutro comentário num blogue qualquer: ele é tão óbvio naquele desespero de ser "comercialóide", não há paciência. O homem perfeito, blah, não sei como é possível alguém gostar de viver com uma pessoa assim ao lado. Por isso cá para mim aquilo é tudo show off, encenação, e também, cá para mim, medo de ficar na sombra.

Anónimo disse...

Esse gajo é um atrasado mental.
Que fale sobre cores gays de calças, que melhor faz.

Anónimo disse...

se a venda dos livros dele nao ultrapassar os 500 a culpa não é dos leitores, que são estúpidos, é de quem faz livros assom e se acha mais esperto por isso.

ahahaha, lindo este comentário.

Maria Sala.