sexta-feira, fevereiro 24

o meu ódio é tão difícil de disfarçar mas se eu escrever isto talvez fique melhor

desconsidero profundamente (ou tenho nojo de) pessoas lovely tipo a Mallu Magalhães.
E também todas as outras que põem nos seus respectivos murais do facebook, vídeos da Mallu com o apontamento "a adorável Mallu <3 <3 <3 <3".

(obrigada por terem lido isto, vocês são o meu caixote do lixo emocional favorito de sempre! <3)

sábado, fevereiro 11

-.-


É verdade que sou conhecida por ser uma excelente pessoa. Sou daquelas criaturas que, ao ser tema de conversa, a referência à minha bondade é incontornável (mas de quem é que estás a falar? Ah! Já sei, já sei. Por acaso ela é impecável, muito boa gente.)
Agora,
como é que isto foi parar aos ouvidos da TAP?
Não sei.

(flashback – ponham a imagem que têm na vossa cabeça a ondular)

Corria a época natalícia de 2011, quando eu e a criança que nasceu depois de mim, roubando para sempre a atenção exclusiva que eu sei que merecia dos meus pais, concertámos esforços para comprar uma viagem aos nossos progenitores (golpe genial que dará retorno durante os próximos anos).

Ao adquirir a viagem, esta que vos fala, deu conta – e sabe deus, como deu – do débito do valor da viagem na sua conta bancária.
Um mês depois, os anões que trabalham na cave escura que será a contabilidade da TAP, estavam a conversar na sua voz fininha “olha lá! Aquela chavala que comprou uma viagem aos pais já pagou? Ela deve ser cheia do papel pa ‘tar com essas cenas. Butes sacar outra vez? Ya mens.”

Deste modo foi extraído, um mês após a compra, a mesma quantia.
Mas a diversão na cave escura da TAP continua. Dois dias depois, devolveram-me tudo – o meu primeiro pagamento e a segunda indevida cobrança.
Eu só sei desta história porque estava a consultar os movimentos no net banking, ninguém me perguntou por contas e ainda estou para saber como puderam fazer o segundo débito sem a minha autorização. Tenho os bilhetes comprados e impressos e se me devolveram o dinheiro eu não dei por isso porque sou rica.

Mas sou boa pessoa. Tanto que liguei para a TAP:

-       Boa tarde. Passa-se istoeistoeisto, maneiras que tenho dinheiro a mais...
-       Pois.
-       E agora? Vão cobrar outra vez?
-       Pois.
-       ahmmm... Vão cobrar outra vez?
-       Olhe não sei. Mande o seu extrato para analisarmos.
-       Desculpe?
-       Mande o extrato bancário e vemos o que podemos fazer.
-       !!Eishhhh que país de merdaaaaaa!!
-       Posso ajudá-la em mais alguma questão?
-       Obrigada, boa tarde.


Com que então tenho de enviar o meu extrato? Destacar os movimentos que interessam, escrever a história, ver se com jeitinho me cobram o dinheiro e pedir desculpa pela confusão.

Vou já preparar um copo de leite morninho e fazer isto como deve de ser. É Sábado, também não tenho mais nada para fazer e os senhores da TAP devem estar muito atarefados! 
Até já, malta!

domingo, fevereiro 5

faça como eu, passe um fim-de-semana sentindo-se uma super mulher:


nível 1. - super mulher

1. repare um autoclismo danificado
2. inicie-se na depilação a laser
3. confecione um bolo de banana a olho
4. proceda à manicura caseira com um corta cutículas enferrujado

nível 2. super mulher MASTER

1. coloque losangos de espelhos autocolantes numa parede sem quaisquer marcações prévias
2. limpe distraidamente uma tomada elétrica com um pano bem embebido em água

nível 3. super mulher SUPER MASTER

Ponto único - ao ligar o seu aparelho televisivo, certifique-se que a única emissão disponível é um aviso da TDT.