segunda-feira, maio 12

razões para cometer crimes graves


VONTADES COMPULSIVAS DE ESPETAR GARFOS NOS OLHOS DE ALGUÉM

A seguinte conversa sucedeu numa estação dos Correios de Portugal:

Boa tarde. Olhe é o seguinte: no final do mês de Março enviei uma encomenda em correio registado. Está aqui o papel que o comprova. Acontece que a minha cliente não recebeu a encomenda e eu gostava de saber onde é que a dita anda e qual o tempo estimado de entrega, por favor.

A senhora olhou para o papel e eu reparei que ela tinha um certo ar de alpaca, podia ser do penteado, podia ser do formato da sua dentição, não sei.

A senhora olhou para o computador, teclou a uma velocidade média de 0,00045 pressionar de teclas por minuto, um movimento pujante e irritado com o rato e três cliques depois e eis uma primeira enunciação perante os factos:

Pooiiize... não tenho aqui nada em chistema, não....

Ok, antes de efectivar já aqui o meu primeiro AVC, convém perguntar-lhe: E agora?

Poooiizzee menina, isto agora, é fazer uma reclamação, dou aqui entrada no chistema das suas informações e é aguardar para ver o que se pode fazer.

Ok mas preciso que me diga: a encomenda ainda está em Portugal? Já saiu do país? Onde é que está exactamente? Encontra-se extraviada?

Eu não lhe sei dizer.

Ok. Mas QUANDO é que pode saber? É que eu tenho de dar uma resposta à minha cliente ou devolver-lhe o dinheiro. Mas sem informações concretas não posso reembolsar, entende? Dá-me uma resposta amanhã?

Isso não sei poiiizze não tenho um prazo mínimo para lhe dar.

Não tem um prazo mínimo?

Não tenho um prazo mínimo.

Já com a boca de lado, pergunto:

E um prazo máximo, tem?

O prazo máximo de resposta são três meses.

Momento de pânico e reflexão interior: porque é que eu insisto em morar num país onde os serviços não garantem o transporte de uma cena do sitio A ao sitio B?
Porque é que estou sujeita a este tipo de situação? Em que momento da minha vida é que fiz MERDA A SÉRIO para ter este tipo de retorno do universo? 

Retomo a conversa:
  
Bom. Estou a tentar manter a calma mas está difícil. Diga-me uma coisa... Suponho que se perderam a encomenda, restituem o valor perdido, certo?

Fez seguro?

Os meus músculos oculares fizeram exercício que baste para o resto do século.

Pooooiizzee.....

10 comentários:

ML disse...

wtf!! queremos desenvolvimentos!

Junta-te ao clube disse...

Portugal!!! Portugal!!! Portugal!!!
Conselho? Baza o mais depressa deste país de merda.

Ass: Gattaca

dramasdegaja disse...

para a próxima é chronopost com eles. No entanto, é capaz de ser mais ou menos ela por ela. O melhor mesmo é pegar no carro e ir entregar a encomenda em mãos.

headache disse...

Gattaca, deixa-te de coisas, eu vivo na Holanda e acontece o mesmo. Incompetência é um mal generalizado.

Mariam disse...

Livro de reclamações, logo. Nome da funcionária que te deu essa resposta. Põem-se logo a mexer o cu gordo e as coisas, subitamente, aparecem no chistema. Há sempre uma possibilidade, por vaga que seja, mas que não podes subestimar, que a dita pessoa tenha o teu artigo debaixo da mesa e o leve para casa nesse dia. Alguém tem SEMPRE que ser responsabilizado, quanto mais não seja pelas respostas estúpidas que dá.

Anónimo disse...

Loool.

Nancy Wilde disse...

foda-se comigo foi a mesma merda. e só dá para trackar a carta se for em correio azul ou registado! é de loucos!

margarida disse...

Olá! Se enviaste registado é possível localizar a encomenda no site dos CTT. Julgo que na parte de baixo do site tem uma um link que diz 'localizar objecto', inseres o nr do registo e aparece o ponto em que está.

Lady Oh my Dog! disse...

não foi em correio normal, é correio registado, tenho o talão do registo.

a senhora fez a reclamação "em sistema" e eu no livro de reclamações oficial.

falei com a chefe da estação (que não soube dar mais informações)

claro que antes disto tudo pesquisei no site dos ctt pelo nr de registo... e nada.

Hamna Sayyad disse...

Submit Your Loving Dog's Stories and Articles with Photos on PR 4 Website.

First 100 Articles are Free

Your Dog Articles